sexta-feira, 11 de outubro de 2013

A CRIANÇA QUE VIVE NA NOSSA ALMA





Que o sonho nunca termine...

O coração que bate e se emociona,
diante do olhar, diante do sorriso,
diante da inocência, diante do amor verdadeiro,
possa salva o mundo.

A criança que um dia fomos,
nunca morre.
Somos pequenos diante da dor,
somos grandes no amor.

Somos tão crianças diante do infortúnio
que clamamos por nossas mães nesses instantes.

Tal como a nossa mãe não morre nunca dentro de nós,
a criança, também, vive em nossos corações,
impulsionando nossos sentimentos, nossas ações
e impedindo que o mal prevaleça, por completo, no mundo.

Abrace seu filho,
abrace seu neto,
abrace seu sobrinho...

Abrace, então, seu pai
abrace sua mãe,
abrace seu avô
abrace sua avó.

Abrace a mãe dos seus filhos,
abrace o pai dos seus filhos.

Seja criança em um instante da sua vida
e o mundo será muito melhor,
sem guerras, sem covardias,
sem rancores, sem mentiras.

É preciso acreditar que o mundo está dentro do nosso âmago.
Esse mundo pode ser bonito e pode ser feio.
É uma escolha simples.
Assim, se a criança morrer dentro de nós,
morrerá, com ela, a humanidade.

Texto de Pedro Paulo de Oliveira.
Direitos Autoriais reservados.
Reprodução permitida, desde que citada a autoria.

Imagem: Autoria desconhecida.
Postar um comentário