sábado, 23 de novembro de 2013

SEU OLHAR, MINHA VIDA




Revejo seus olhos
pequenos radiantes de luz
verdes como o mar que você nunca viu
matizes de vidas de sonhos
iluminando meus passos
seguindo-me.

Seu sorriso seus olhos
brilhos coloridos
sons de tango e bolero
passos vistos
no olhar de vida.

Seus olhos
viram a vida... plena
brotando do seu corpo
era eu
outros tantos
ficou olhando
com medo
risonha
com lágrimas
gravando...

Depois, seu olhar
seguindo os passos
passos trôpegos
indecisos
banindo o medo
mostrando o caminho
vigiando...


Não se esqueceu
novamente admirou
o tempo se foi
em contemplação
até que se esqueceu
não avistava
sentou-se
não mais se levantou
olhando o passado
num abismo colorido
revendo as crias
com os pequeninos
verdinhos e brilhantes olhos.

Seus olhos se fecharam
cansados
guardados sob as pálpebras
o brilho ficou
na memória
na luz de cada dia
atrás das nuvens
sobre as montanhas
verdinhos como esmeraldas.

Texto de Pedro Paulo de Oliveira.
Imagem: Fantasy

Para minha mãe, transformada pelo Mal de Alzheimer e que manteve, até o último instante, o brilho nos olhos.
Postar um comentário