quarta-feira, 27 de novembro de 2013




DESPERTARES

Sonhou paz e amor, teve dor e ásperas esperas.
Buscou a felicidade, aspirou espinhos e fugas étereas.
Pisou fundo, cicatrizou suas entranhas.

Compassou-se no mundo…
desnudou-se das vestes.

Vestiu-se com carne…
sangrou.

Gerou vida, homens e mulheres…
despertou.

Encaixou pesadelos e pedestais…
caiu da Deusa mulher.

Carmen Silvia Presotto - Vidráguas, em Coletânea da Associação Artística e Literária: “A Palavra do Século XXI", Cruz Alta, 2009. p. 24.
Postar um comentário