quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

NA SOMBRA DO LAGO




Na sombra do lago
vi seus olhos
brilhando, verdes
como duas esmeraldas...

Na sombra do lago
descobri sua boca
vermelha, ardente,
como morangos maduros...

Na sombra do lago
vi seus seios
arrebitados, impudicos
como dois montes brilhando...

Na sombra do lago,
nas suas águas mansas,
descobri seu corpo de curvas...
Era tudo uma coisa só:
a água, a vida, seu corpo.

Mergulhei sem saber nadar...
Perdido, eu me afoguei
nas curvas do seu corpo,
na sombra do lago.

Texto de Pedro Paulo de Oliveira.

Imagem: sensualissimo
Postar um comentário