domingo, 7 de julho de 2013

LUMES DO PASSADO.


O sol arde e queima o horizonte
Últimas faíscas de longo um dia
Do inverno impiedoso sobre o monte
E dos meus olhos que a tudo copia

Vejo o mundo, vejo os sonhos distantes
Na vida que com a luz se esvai
Deixando as lembranças dos instantes
Que só sabemos quando não temos mais

Não tenho mais o colo materno
Não tenho mais o amor perdido
Não tenho o sonho terno
Do menino concebido

Sou adulto andarilho errante
Suplicando um pouco mais de acalanto
Saudoso do passado distante
Deixado no espaço feito pranto.

Texto de Pedro Paulo de Oliveira
Direitos Autorais

Postar um comentário