quinta-feira, 11 de julho de 2013

SEGUINDO EM FRENTE



A estrada, não importa,
Se de terra ou de ferro.
Sigo em frente,
Buscando meu eu.

Deixarei em cada estação
Um pouco dos meus sorrisos,
Meus passos cada vez mais cadenciados
E o calor das minhas mãos.

Por onde andei, fui menino e menina,
Fui homem e fui mulher.
Amei e fui amado
E continuei seguindo em frente

Seguindo em frente sempre,
Na serração da manhã,
No frio que segue a estrada
Sobre a terra, pedra e pedras,

Muitos passos e espaços,
Sob a chuva ou sob o sol,
Em olhares, beijos e abraços
e loucos desejos sob um lençol.

Levo comigo a minha casa,
Por onde entra o sol,
sol que vejo da janela,
Brilhando no arrebol.

Levanto sempre, não posso parar,
A serração dá espaço para a aurora
Ela se vai, diluindo-se no ar
Não há mais tempo, vou embora.

Pedro Paulo de Oliveira.
Direitos Autorais
Postar um comentário