quinta-feira, 22 de outubro de 2009

PLENITUDE DO SER




A vida abrolha
num instante perene...
surge o querer,
o poder
da luz cósmica
que almejamos
como redenção.

(Simbiose... Paixão).

E sentir o presente
tão curto, raro, volátil...
o desejo de ser amado (êxtase).
Busca eterna dos seres vivos.

Alguém diz: "o mundo gira!"...
Gira?... Como, se tudo é o todo?
E a luz? Ah... A luz nos engana.
De onde ela emana?
Do todo que não vemos.
A luz, então, é parte do nosso ser.

E a escuridão? (a ausência da luz?)
Não há escuridão. a luz não se ausenta
Nossos olhos é que não podem ver...
Está tudo no seu devido lugar.

E o infinito?
Não existe...
O infinito é tudo que já foi dito.
Existências plenas,
vidas que ficaram - todas...
As humanas,
umas sinceras e amenas...
outras, que apenas passaram.

Ou o mundo existe sem a consciência?
Não. O universo é a conscência plena,
a plenitude do ser.




Pedro Paullo de Oliveira – 22/10/2.009 -

Texto revisado em 06 de janeiro de 2014.

Imagem: violete


Postar um comentário