sábado, 20 de fevereiro de 2016

MEUS AMORES, MINHA VIDA.


De tudo um pouco levarei comigo...
instantes doces, amores, desejos,
toques, olhares, carinhos sentidos...

Quem sabe... leve os lampejos
dos amores perdidos,
dos abraços, dos beijos
que não podem ser esquecidos.

De tudo sentirei um tanto
mesmo diante do tempo,
na visão do meu pranto,
expressão do meu lamento...

Serei essência pura 
para cada um que viu e me amou
pois que imortal é o amor, é a vida.
E de tudo amarei o viver,
esse fardo de um instante,
esse fluido de um amanhecer,
esse sono... sonho delirante.

Pois que o viver não é desvanecer,
mas o desejo eterno e constante
de repetir tudo e seguir adiante.

E depois de tudo, do tanto, do meu sofrer,
as imagens em meus olhos viajarão,
irão comigo, como sombras
acalentando-me e me dizendo o quanto eu vivi
e que o viver é seguir em frente para sempre.


Texto de Pedro Paulo de Oliveira.
Imagem: fada
Postar um comentário