segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

O AMOR REAL

O amor só nos é real pela intuição, pela percepção, pelo olhar.
O amor é aquela dedicação incontestável, desmedida ao ente amado;
O amor é a busca intermitente e latente do outro, mesmo que ele esteja distante;
O amor é aquele brilho nos olhos da mãe quando vê o filho distante voltar;
O amor nunca morre enquanto há vida entre os seres que se amam;
O amor verdadeiro só é possível nas vidas daqueles seres especiais;
O amor é a essência que, muitas vezes, muda de lugar.
Mas, o amor, onde estiver, vai invadir, tomar conta, prevalecer.

O amor, muitas vezes, direciona-nos para um pequeno animal, um cão, talvez.
De tantos animais espalhados pelas ruas escolhemos um para companheiro, ouvir nossas lamúrias, receber nossos carinhos, participar de nossas brincadeiras de crianças (mesmo depois de adultos somos crianças junto deles).
No final das contas, eles tornam-se membros da nossa casa, com todos os direitos dos seus habitantes,invadem a nossa intimidade e nos fazem esquecer das agruras do dia a dia.

Assim, não escolhemos a quem amar, o amor nos escolhe para amar.



Estava pensando na minha mãe e no meu cachorro, e me inspirei para escrever esses pensamentos.
Postar um comentário