terça-feira, 22 de maio de 2012

A MORTE DE PABLO NERUDA

Pablo Neruda foi um poeta extremo, do extremo da carne e da alma. Sua morte, como sua vida, deixou marcas e possibilidades para investigações. Eu, pessoalmente, não creio que haja algo extraordinário na sua morte. Contudo, seu motorista pessoal, que o acompanhou até o dia 23 de setembro de 1973, data em que morreu, 12 dias depois do pinochetaço, afirma que ele foi assassinado com uma injeção letal. Foi aberta uma investigação pela corte de justiça do Chile. É possível que Pablo Neruda, muito debilitado por conta do câncer de próstata, ao ter certeza do golpe militar e da morte do Presidente do Chile - e seu amigo pessoal Salvador Allende -, não suportou a dor na alma e se entregou à morte. Mas, como a ditadura chilena foi uma das mais cruéis da América Latina, vamos esperar os resultados da investigação. Acredito que o corpo de Neruda será exumado de onde está enterrado na Isla Negra.
MAS, O QUE NOS IMPORTA SÃO AS SUAS POESIAS, AS SUAS PALAVRAS: PARA NASCER NASCI...; OS CISNES NÃO CHORAM QUANDO MORREM...; A MULHER ENTRE AS FLORES DE AZALÉIAS...
Postar um comentário